deadpool1-gallery-image

Publicado em fevereiro 11th, 2016 | Por Rodrigo Cirne

0

Deadpool – Crítica

Deadpool talvez não seja o melhor filme de origem de um super-herói, nem é o melhor filme da Marvel (Seja via estúdio próprio, seja por outros estúdios), mas que Deadpool é o filme mais engraçado baseado em HQ´s, disso não tenho a menor dúvida. E tentarei citar alguns dos motivos abaixo, sem estragar nenhuma surpresa ao espectador:
– Censura: O filme é censura PG 17 (menores de idade somente com acompanhamento dos pais) nos Estados Unidos e 16 anos aqui no Brasil. Isso sugere que o filme tenha linguagem imprópria, uso excessivo de palavrões, conteúdo sexual, ou seja…tudo aquilo que faz de Deadpool este “herói” que a grande massa passou a conhecer agora.

– Roteiro/Direção: Como disse anteriormente, o filme tem um excesso de palavrões, nada absurdo, porém, essa é uma marca do personagem. Sem isso, teríamos um filme normal de super-heróis, o que definitivamente não combina com o personagem, méritos para os roteiristas Rhett Reese e Paul Wernick (responsáveis pelo roteiro do ótimo Zumbilândia), além da direção segura de Tim Miller.

– Elenco: O ponto forte do filme. Desde o melhor amigo (T.J. MIller/Jack Hammer) que distribui várias sacadas hilárias no filme, passando pelo interesse amoroso (Morena Baccarin/Vanessa), os X-Men, Colossus (Neste filme de uma forma bem mais fiel aos quadrinhos, interpretado por Stefan Kapicic) e Megasonic Teenage Warhead (literalmente sem tradução em português no filme, vivida por Brianna HIldebrand, vítima de uma das maiores troladas do filme, que faz referência a uma certa artista dos anos 90), finalizando no típico vilão inglês (assim informado nos créditos iniciais), o Ajax de Ed Skrein faz o típico bad guy, e o faz com muita competência, além da ex-lutadora de MMA Gina Carano. Porém, nada se compara a Ryan Reynolds.

deadpool-DMC_2670_v068_matte.1045_rgb
O ator quis tanto fazer esse filme, fez tanta campanha on line, que é impossível que a audiência não se identifique com seu Deadpool. O ator está tão a vontade no papel, que me arrisco a dizer que sua imagem será tão ligada ao personagem, quanto a de Hugh Jackman está ligada ao personagem mundialmente conhecido, Wolverine. E todo o sucesso que eu creio que o filme fará, se dará muito ao talento/bom humor do ator.

A história gira em torno de Wade Wilson, mercenário que é diagnosticado com câncer terminal, e após várias sessões de implante de células mutantes, se torna imune a doença, além de criar um fator de cura, que gera momentos hilários no filme.

E porque Wade Wilson se torna Deadpool? Ele quer se tornar um super-herói para combater o crime? Como ele mesmo diz no começo do filme, essa é uma história de amor, e a resposta para esta pergunta, vou deixar para o espectador descobrir nas salas de cinema.

Com sacadas geniais (tirando sarro de muitas pessoas/personagens) e sem esquecer de suas aventuras desastrosas na DC Comics e na própria Marvel, Deadpool é um filme que não se pode levar a sério, e fará o espectador sair sorrindo do cinema, lembrando dos momentos hilários que o filme proporciona. E existe coisa melhor do que sair do cinema sorrindo com um filme?

P.S.: O filme tem duas cenas pós créditos, além da sempre participação sensacional de Stan Lee.


Sobre o Autor

Amante de cinema, viciado em Star Wars, Friends e Alice in Chains. Nerd convicto, Analista de Sistemas por vocação, baterista por coração e emoção. Consumidor compulsivo de filmes, séries, música, games e HQ´s. Se pudesse, viveria de entretenimento (cinema e música), como ainda não posso, descarrego todo esse amor aqui no blog.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Voltar para o topo ↑